12.23.2008

Não me dês música

Vem a altura dos tops, o dos filmes está a caminho, mas só o poderei apresentar quando achar que vi todos os que devia e ainda não pude (Things we lost in the fire, Shine a light, Australia, Hunger entre tantos outros que me passaram ao lado), mas agora vêm as outras áreas que não o cinema e é aqui que se funda um problema de alguma incultura e desatenção. Desta forma não posso fazer um top, que seja, e manter a minha consciência limpa, assim e em suma, deixo uma série de músicas, pertencentes a vários álbuns deste ano, que comprei/ouvi e que gostei bastante e têm sido a minha companhia musical dos últimos tempos.
Once, a banda sonora de Once o filme, é, tal como o filme, uma obra de formosura encantatória e absoluta em todas as formas que é possível.
Vampire weekend, midnight juggernauts, cut copy e The Ting Tings, são exemplo glamorosos da pop masi desmiolada e despreocupada dos últimos tempos, uma delícia.
Deolinda é o fenómeno português do ano e quem sabe da década, um forma curiosa e popular de ver o fado, também ela despreocupada e muito irónica.
Bloc party e The Killers estão de regresso, party um pouco mais fraquinhos e The killers a recuperarem dos tanto fraco como incompreendido Sawdust
Portishead é ... Portishead, um som atmosférico e depressivo inigualável.

2 comentários:

looT disse...

O álbum dos Midnight Juggernautts é soberbo mas de 2007 se não estou em erro :P
Mas pronto o single é de 2008 e se não for que interessa é sempre bom recordar este magnífico trabalho :P

Ricardo disse...

como disse, gosto muito de música, mas não sigo com grande atenção, daí estas escapadelas, mas que a música - into the galaxy- é extraordinária lá isso é.