10.26.2008

Há filmes e filmes e depois há milagres...





Eu costumo dividir os filmes em: filmes para aquecer (aqueles em que o coração bate de forma estranha, que se transpira só pela força imagens, que nos tira a respiração e que normalmente faz os pés frios) , aqueles que paralisam (como foi o caso do Corações e do Alexandra este ano, em que mal o filme começa, as forças dos músculos desaparecem e o corpo fica morto e quase com medo de se mexer quando deparado com o que admira) e depois há aqueles que arrepiam (que uma pessoa não consegue estar parada na cadeira, mexe e remexe e grita e ri e vive no limite das sua possibilidades) e depois há aqueles que são tudo ou não são nada (não querendo dizer com isto que os que não são nada, não sejam bons, mas pelo menos não mexem tanto comigo).

Ali é um dos filmes que se pode dizer que arrepia e aquece (hó se aquece).

Um filme que parece ter o toque da perfeição divina numa parte inicial e a perfeição humana no resto da sua construção, um filme milagroso que ultrapassa o seu tema de revolta pelos direitos civis do negros e do boxe; um filme que extravasa o que se propõe a preencher, que vê o Homem como humano e a vida como parte integrante do que somos, e que para além de tudo isto tem o experimentalismo do senhor Michael Mann que só pela abertura do filme devia ser elevado ao estatuto de mestres modernos com Cronerberg, Spilberg, Lucas, Scorsese, Coppola entre tantos outros.

Absolutamente genial, absolutamente perfeito.

7 comentários:

Victor Afonso disse...

É um bom filme, mas não diria que é "absolutamente perfeito"...

looT disse...

Ainda não vi :(
Mas gosto muito dos trabalhos de Mann

Ricardo disse...

claro que não é melhor filme do mundo, nem o meu preferido, mas Mann consegue de uma história que contada por outros (lembro-em de Spike Lee, que gosto muito já agora) não seria metade da inovação visual, abertura, como disse é deslumbrante, colar, lado a lado, cenas de época com um corrida filmada com uma câmara digital bem ranhosa tem algo de génio e o filme todo é pujante e bem de sobremaneira.

Para o Loot: se Colateral era maravilhoso (genial) e Miami Vice não era nada de especial este está ao nivel, ou mesmo superior ao Colateral (como nunca vi a obra-prima de Mann, o Heat, não me pronuncio, mas deve ser difícil ficar à frente deste soberbo Ali)

Nelson Magina Pereira disse...

Quanto a Mann, já me parece estar no mesmo patamar dos realizadores que referiste. Quanto ao filme Ali, penso que apesar de ser um bom filme não é o melhor de Mann.

Cumprimentos.

looT disse...

Por acaso o Heat é o meu favorito de Mann e apesar de ter gostado muito do Colateral o Heat é melhor :)

E o Último dos Moicanos? Já lá vão uns bons anos desde que o vi.

Ricardo disse...

e chega-se o ponto em que não dá para esconder mais a minha incultura, não, nunca vi o último dos moicanos nem Heat (possivelmente os melhores de Mann), não me posso nem devo pronunciar, espero dentro em breve fazê-lo, por isso quando a altura chegar vão me ouvir certamente.

Senhor Loot não julgue que me esqueci do Top das actrizes, mas eu não era capaz de fazer um top e ter a minha consciência limpa sem antes ter visto o Walk The Line (Witherspoon), Monster (Theron), Girl, Interrupted (Jolie) e Blood Diamond (Connelly). Aproveitei e vi uns quantos que já me andavam a fazer cocegas, para a semana (quinta ou sexta) eu publico

looT disse...

Por acaso quem já não se lembrava disso era eu :P

Estou a ver que andaste a prestar muita atenção a algumas senhoras fico à espera.

Abraço